Agrupamento de Escolas Visconde de Juromenha

E porque a Educação liberta…

Marco de correio tradicional vermelho com cartas penduradas até ao teto; atrás, painéis com carteiro, poema e várias cartas afixadas

Os alunos dos Cursos de Educação e Formação de Adultos do Estabelecimento Prisional da Carregueira e os dos 2.º e 3.º ciclos da Visconde de Juromenha escreveram e trocaram cartas sobre a importância da Educação na vida do ser humano. O Dia Mundial dos Correios (9 de outubro) e o Dia Internacional da Educação nas Prisões (13 de outubro) foram o mote para estes trabalhos.

Na biblioteca, construiu-se um pequeno marco de correio; os professores de Português sensibilizaram os seus alunos; na Carregueira, todos os professores também o fizeram e voltaram a dar uso ao marco de correio tradicional que o Alfredo e o Eduardo construíram num projeto em anos anteriores.

O resultado foi iniciar uma conversa entre estes alunos naturalmente tão diferentes nas idades e vivências, mas com a frequência de uma escola em comum.

O que foi feito

Rap

O Pedro, na Carregueira, esteve (como habitualmente) inspirado e em poucos minutos escreveu uns versos que depois transformou em rap:

Eu hoje estou inspirado
Vou falar da Educação
Ela é muito importante
Dentro e fora da prisão

Para quem tem oportunidade
Há que saber aproveitar
Obter novos conhecimentos
Para mais tarde os usar

Dar mais valor aos professores
Que escolheram a profissão
Hoje em dia somos nós
Amanhã a nova geração

Saber não ocupa lugar
Então aprende todos os dias
Aprende coisas boas
Larga as péssimas companhias

Um por todos e todos por um
Vamos todos aprender
Para um dia mais tarde
Ver os nossos filhos a crescer

Num mundo melhor
Com bem mais sabedoria
Vamos agradecer aos professores
Por nos ensinarem todos os dias

Pedro A

Cartas da Visconde (alguns excertos)

Gostava de saber se gostas de todas as disciplinas da escola.
Gostas de ler?
Costumas almoçar no refeitório? Como é a comida?
Gostas de estudar? Qual é a tua disciplina preferida?
Tens saudades da família?

7.º 7 2022/23

Que te fez voltar a estudar? Qual é a parte mais difícil de voltar a estudar?
Que disciplinas tens? Qual a que tens mais dificuldade?
É muito difícil ficar na prisão? Estás arrependido do que fizeste para seres preso? (Desculpa a pergunta.)
Como é a tua rotina? O que fazes durante o dia?
Eu sou do 7º ano. Gosto de sair com os meus amigos e ouvir música…

7.º 7 2022/23 n.º 644

Como é viver na prisão por anos?
Gostas de matemática? Ah, eu não, eu não consigo entender muito essa matéria.
Bom, a comida daí é boa?
Vocês conseguem ver o dia lá fora?
Por que «time» torces? Eu, Sporting…
Por favor, responde às minhas perguntas, nem é muito.

Panda

Sempre quis saber como é o horário na prisão, poderias dizer como é o horário? Eu também tenho um horário na escola.
Já agora, frequentas a escola? Se sim, achas que a escola é importante?

7.º 7 2022/23 n.º 64592

Gostas de estudar aí? Eu odeio estudar e já estou farta.
Que fizeste para ires para a prisão? Se não queres dizer está tudo bem.
Qual é a tua comida preferida? A minha é piza.

7.º 2 2022/23

Gosto de jogar futebol, o meu sonho é ganhar uma Champions, um europeu, um mundial e o que mais quero é uma bola de ouro para ficar na história do futebol. E tu? Tens algum sonho?
Se quiseres, podes não responder, mas o que fizeste para estar na prisão?

I. P.

Como é o teu horário aí? Tens muitas disciplinas?
Os teus TPC são muito difíceis? Os meus são mais ou menos.
Gostas de ter aulas? O que pensas sobre as aulas?

P.

Cartas da Carregueira (excertos)

Escrevo-te porque de momento estou preso num estabelecimento prisional. Sabes que na vida, quando escolhemos companhias menos boas, estas, com o passar do tempo acabam sempre por levar a este destino (prisão). Amigos em pequenos primeiro, que me levou a conhecer outros menos amigos e enfim, aqui estou eu como resultado final.
Acredita no que te escrevo, pois hoje sinto que o meu caminho podia ter sido outro, sem ter de acabar por passar por aqui. Espero bem que sigas sempre no bom caminho para ti e para os outros. Espero que nunca te veja por estes lados, por teres errado.

B1, F A

Queria partilhar, consigo, uma situação. Deixei de estudar quando era muito novo e infelizmente cometi um erro que me trouxe para aqui.
Se eu soubesse o tanto que a educação é importante para a nossa vida, nunca tinha deixado de estudar. A minha mãe sempre dizia: “Acorda! Vai para a escola! É o seu futuro!” e eu respondia: “Hoje não vou à escola!”. Isso repetia-se ano após ano.
Se eu soubesse, teria escutado a minha mãe. Com certeza a minha vida seria diferente… tinha estudado mais, teria uma profissão. Por isto, eu te digo, meu colega: nunca deixe de estudar. Se eu pudesse voltar atrás, tudo seria diferente.

Andar aqui a estudar foi a minha melhor escolha, pois além da aprendizagem normal também se aprende sobre costumes e palavras de outras regiões do nosso país.
Estou a gostar muito até agora pois além de aprendizagem normal também aprendemos muito com os colegas, para não falar que o tempo passa a voar pois é o único sitio onde somos livres.
Como deves ter notado os professores no E.P. são mais atenciosos e assim também se torna mais fácil para nós aprender seja o que for.
Se me for possível enquanto aqui estiver frequentarei o ensino até onde for possível e as minhas limitações deixarem.
Espero que tu partilhes as mesmas opiniões e te sintas bem na escola como eu.
Assim me despeço e espero receber uma carta onde possa ler o contentamento de alguém como eu está feliz por andar a estudar.

JC

A escola para mim é algo muito importante para o nosso futuro e ensina-nos a saber comunicar e conviver melhor com as pessoas. Além disso abre muitas portas de oportunidades novas e conhecimento do mundo.
Eu, por exemplo, deixei a escola muito cedo e nem dava valor nenhum, mas agora nesse momento, que estou mais velho, sinto-me arrependido por não ter aproveitado melhor quando ainda era jovem. Eu também andei na tua escola, mas infelizmente fui expulso e tive que andar na escola à noite, foi por pouco tempo porque desisti.
Acredita, se fosse hoje fazia tudo diferente e aplicava-me bastante, porque na realidade o conhecimento do mundo e os estudos são uma fonte básica para a sobrevivência em qualquer parte do mundo.
Aqui dentro da cadeia a escola é importante para mim, porque estou cada vez a aprender mais. Estou ativo e não fico muito tempo fechado na camarata. A escola também nos ajuda a ter precárias e a sair mais cedo da cadeia, como é saudável também para saúde e refrescar a memória e abrir a mente.
Estuda e aplica-te para quando fores adulto saberes realmente o que queres para tua vida e seres uma pessoa sábia.

C

Estudar é muito importante, tão importante como a nossa alimentação. Estudar é tão necessário como as brincadeiras com os nossos amigos. Por vezes, trocamos a escola pelas brincadeiras julgando-as mais importantes no momento. Ao fazê-lo, nem imaginas o quanto te estás a prejudicar no futuro. Sem o ensino escolar nunca conseguirás alcançar os teus objetivos, ser um bom profissional, um empresário de sucesso, um bom médico, um bom advogado, um bom profissional desportivo, etc.
Portanto, amigo estuda! Há tempo para tudo na vida, só tens é de o saber gerir. Uma hora para estudar (em primeiro lugar) e uma hora para brincar. Desafia também os teus amigos a pensar desta forma, estudem em grupo, apliquem-se para serem no futuro cidadãos exemplares, dignos do respeito social, para serem úteis e valorizados socialmente.
Nunca te canses de estudar, saber não ocupa lugar. É sempre bom saberes para poderes ajudar.

D

Escrevo-te esta carta para te incentivar a seres um aluno aplicado e não deixares de estudar cedo como eu fiz. Se fores um aluno aplicado, serás um bom filho, virás a ser uma boa pessoa e com certeza um bom pai.
Eu deixei a escola quando terminei o 6º ano, já lá vão 40 anos. Hoje arrependo-me disso, a culpa foi só minha e de mais ninguém. Na altura, disse aos meus pais que não queria estudar mais e, com tanta insistência da minha parte, eles cederam e lá fui eu para o primeiro emprego, com 13 anos. Hoje, seria proibido.
Dez anos depois já pensava em ter casa, casar e ter filhos. O que após 3 anos veio a acontecer. No entanto, a vida de vez em quando prega-nos algumas partidas. Tive um tropeção na minha que me levou à prisão. Agora, preso, penso em tudo aquilo que construí e o que deixei por fazer…
Uma das coisas que deixei por fazer foram os estudos. Hoje, ando a tirar um curso EFA B3. Estou a ter algumas dificuldades devido à idade, à pressão de alguns guardas e às exigências da própria cadeia.
Por isso, deixo-te aqui um apelo: Aplica-te nos estudos, constrói amizades e dá valor à liberdade. Só assim virás a ter frutos e obter aquilo que desejas.

J

Por vezes ficamos a pensar se o que aprendemos na escola nos vai realmente fazer falta para o nosso futuro. Aprendemos tanta matéria “chata” e depois de acabarmos a escola não vamos utilizar no nosso dia-a-dia. Para quê tanto trabalho? Não seria melhor poupar tempo e aprender somente as coisas que realmente fazem falta no mundo real? Eu pouco ou nada uso o que aprendi na escola há 40 anos. Estudar tanto para quê?
Cheguei à conclusão que não é só o que aprendemos na escola, mas sim as ferramentas que nos são dadas para que mais tarde consigamos resolver diferentes tarefas e problemas. Vamos desenvolver novas ligações no nosso cérebro que serão essenciais para um raciocínio rápido e lógico. Acredito que a utilização dessas ferramentas originará um quociente de inteligência maior.
Por isso quando estiveres a “apanhar seca” nas aulas com matéria que pensas que vai ser inútil para o teu futuro, simplesmente relaxa e sorri porque é muito importante para o teu futuro, quer na área profissional, social e familiar.
Espero que esta carta ajude a enfrentares melhor o teu percurso escolar. Boa sorte agora e no futuro, caro colega.

P S

Sou recluso e estudante na cadeia.
No meu tempo de criança os jogos eletrónicos, computador, TV, consolas, etc., desgastavam-me a tal ponto que andava como muitos de vocês andam: mentalmente Agitado, Desconcentrado, Irritadiço, Impulsivo, (…) Inseguro em situações novas, Intolerante a contrariedades, não tirava prazer da Aprendizagem, resistia às Regras dos meus pais e professores e era totalmente dependente de máquinas.
O que me dói na alma é saber que todos vós tendes uma panóplia de máquinas (smartphones, tablets, computadores…) que vos tornam totalmente dependentes. Não vos deixam raciocinar por vós mesmos, tomar decisões e não iniciarem uma luta contra essa incapacidade para lidar contra esta sociedade hipercompetitiva, (…) suja, sem respeito uns pelos outros…
Vivemos num mundo doente, cheio de Incertezas, Inseguranças, Inquietação, Atrocidades… Se forem insensíveis, inseguros, indisciplinados, se nunca estão satisfeitos, se não aceitam um não como resposta e se querem tudo e já apelo-vos para que sigam os Importantes Valores que os vossos pais e professores vos passam e para que compreendam o verdadeiro sentido deste ditado popular: “educai os mais novos para que não seja necessário punir os mais velhos”.
Defendam com unhas e dentes os vossos sonhos, (…) tudo o que Amam e toda a Aprendizagem que adquirirem para que um dia não venham (como nós) a chorar os erros do Passado.
Aqui o que não falta é Dor, Sofrimento, Mágoa, Amargura, Injustiça, Raiva, Direitos, Assistência Médica, Suicídio e Revolta. E onde sobra também Compaixão, Resiliência, Altruísmo, Compreensão, Reconhecimento do Esforço Inigualável daqueles que investem em nós — em especial os nossos Professores, Mestres na Sabedoria e na Arte de nos Recriar, Interiorizar e nos Segurar à Vida! Sempre com aquele Entusiasmo, Sorriso, Disciplina e Determinação, ensinam-nos lições únicas! Investem em nós, os Esquecidos da Sociedade e preenchem-nos com muita Coragem e Esperança. Acreditem, o único local onde não nos sentimos acorrentados, presos ou em reclusão é na Escola.

Zizou

  • ***
    O marco de correio na biblioteca foi mesmo pequeno para tanta correspondência; o carteiro teve de fazer várias passagens.
  • ***
    O marco de correio na Carregueira também teve muito trabalho...
  • ***
    ...pois as cartas não paravam de chegar. Não sabemos se conseguimos responder a todos!
  • ***
    Algumas das cartas afixadas.
  • ***
    Mais cartas..
  • ***
    ..e ainda mais cartas.
  • Marco de correio tradicional vermelho com cartas penduradas até ao teto; atrás, painéis com carteiro, poema e várias cartas afixadas
    Os artistas na Carregueira quiseram usar os seus talentos artísticos para reforçar a mensagem, por isso, desenharam e pintaram vários painéis.

O que achamos que se conseguiu

  • Todos os alunos ficaram a conhecer estas datas importantes;
  • Aperfeiçoaram a expressão escrita;
  • Ganharam consciência sobre a importância da comunicação e contacto entre pessoas;
  • Os mais velhos refletiram, conversaram e escreveram sobre a importância do Ensino nas suas vidas;
  • Os mais novos quiseram saber mais sobre as diferenças entre uma Escola comum e uma numa prisão;
  • Os mais velhos recordaram a sua vida de estudante quando eram crianças e jovens, alguns pensaram ainda mais nos seus filhos e compreenderam que a privação da liberdade não os impede de contribuírem de forma positiva para a sociedade, oferecendo os seus conselhos aos mais novos e alertando-os para a importância e papel fundamental dos estudos na vida.

Lúcia Mata, Fátima Lains, Júlia Fernandes, Maria João Fernandes, Ana Santos, Isabel Martins, Sónia Nobre, Helena Caroça, Maria M. Matias, Ana Catarina Caramona e António Padilha, 1 de novembro e 24 de outubro de 2022